Se encuentra usted aquí

Publicado en: 16/12/2019

Opas afirma que o uso racional de medicamentos é essencial para o alcance das metas dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável

imprimirimprimir 
  • Facebook
Rafaela de Oliveira

A Organização Pan-Americana da Saúde (OPAS) afirmou, no último dia 10 de dezembro, que o uso racional de medicamentos é essencial para o alcance das metas dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS). A declaração foi dada pelo coordenador de Medicamentos e Tecnologias em Saúde do escritório da OPAS e da OMS no Brasil, Tomás Pipo, durante o VII Congresso Brasileiro sobre o Uso Racional de Medicamentos, em Brasília. A edição deste ano contou com cerca de mil participantes de diferentes especialidades, entre gestores, profissionais de saúde, estudantes e outros interessados em saúde pública, os quais participaram de painéis, oficinas, mesas de debate, apresentações, cursos e um espaço interativo de Práticas Integrativas e Complementares e uma mostra de saúde, arte e cultura.

O Congresso é organizado pelo Ministério da Saúde, por meio do Departamento de Assistência Farmacêutica e Insumos Estratégicos (DAF) da Secretaria de Ciência, Tecnologia, Inovação e Insumos Estratégicos em Saúde, e reúne debates sobre os desafios e as perspectivas para o uso racional de medicamentos na prática interprofissional. “Buscamos não apenas a disponibilidade, mas também o acesso, a qualidade dos medicamentos e a informação e educação de profissionais e pacientes. Tudo isso é imprescindível para que haja o uso racional e seguro de medicamentos”, afirmou o Pipo. Dentre as estratégias para melhorar a eficácia dos cuidados de saúde, a OPAS recomenda que os países adotem estratégias abrangentes e integradas para a avaliação, seleção, adoção e utilização de medicamentos e outras tecnologias de saúde.

Célia Chaves, membro do Comitê Nacional sobre o Uso Racional de Medicamentos desde 2006, afirmou que será produzido um documento com as principais diretrizes para nortear os trabalhos do Comitê no futuro. “Mais do que nunca precisamos reforçar a necessidade de cada vez mais humanizar – e não despersonalizar – os serviços oferecidos para a população, em especial em relação ao uso racional de medicamentos”, ressaltou.

A diretora de Assistência Farmacêutica e Insumos Estratégicos do Ministério da Saúde, Sandra de Castro Barros, lembrou que o Congresso é realizado desde 2005, abordando diferentes temas. “Neste ano (2019), nosso trabalho está [focado] em desafios e perspectivas no uso racional de medicamentos na prática interprofissional”, afirmou a diretora. “Esperamos que, nestes três dias (10-12 de dezembro), possamos construir e subsidiar para que possamos aprimorara cada vez mais essa agenda tão importante da promoção do uso racional de medicamentos”, concluiu.

Fotos/Ilustraciones: 

Freestocks/CC.

Añadir nuevo comentario