Você está aqui

Publicado em: 01/08/2014

ISAGS abre espaço político para discussão da Agenda Pós-2015

imprimirimprimir 
  • Facebook
Isags

Oferecer um espaço de debate político-estratégico sobre a Agenda Global de Desenvolvimento Pós-2015. Essa é a proposta do Instituto Sul-Americano de Governo em Saúde (ISAGS) com a criação da revista ‘Pós-2015 e os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável: a Visão da América do Sul’. Primeira publicação do gênero editada pelo Instituto, a revista visa promover a ampliação do debate crítico e a troca de experiências práticas, desde uma perspectiva sul-americana. Para isso, o ISAGS convida gestores e trabalhadores nos campos da saúde e políticas públicas, integrantes de organizações civis e movimentos sociais, estudantes e pesquisadores a contribuir com artigos, ensaios, debates e análises inéditos sobre o tema. Interessados deverão enviar os textos até o dia 30 de agosto.

A revista se dirige diretamente ao público-alvo do Instituto: gestores de alto nível da América do Sul. Ministros da Saúde e das Relações Exteriores, secretários e diretores de instituições de saúde estratégicas da região, como Institutos Nacionais de Saúde, Institutos Nacionais de Câncer, Escolas de Saúde Pública, Escolas Técnicas de Saúde, assim como membros de organismos sub-regionais – como MERCOSUL, OTCA, ORAS-CONHU – e regionais, como Organização Pan-Americana da Saúde (Opas), dentre outros.

“Com essa publicação visamos contemplar um leitor político. Como Instituto, um dos nossos mandatos é oferecer subsídios para articular a atuação regional em saúde global. Por isso, identificamos a necessidade de formular uma publicação que se volte para a análise de conjuntura, o compartilhamento de experiências e relatos que deem voz à América do Sul”, resume Mariana Faria, chefa de Gabinete do ISAGS.

Nova Agenda Global

Os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODSs) vão suceder os Objetivos de Desenvolvimento do Milênio (ODMs), as oito metas cujo prazo final é 31 de dezembro de 2015. Responsável pela área de Determinação Social da Saúde (DSS) do ISAGS, a pesquisadora Alessandra Ninis, explica a revista temática do ISAGS também pretende trazer à luz elementos de reflexão sobre o novo contexto geopolítico de estruturação da Agenda Pós-2015.

“A definição dos novos objetivos, com suas metas e indicadores, ocorre em um contexto geopoliticamente mais complexo, com linhas mais tênues entre Norte e Sul, com novos atores econômicos, novas alianças e, principalmente, com mudanças que ressignificaram as relações de poder no mundo”.

Uma das transformações mais relevantes nesse sentido é o papel da saúde na nova Agenda. Para Rômulo Paes, diretor do Centro Mundial para o Desenvolvimento Sustentável (Rio+) e membro do conselho editorial ampliado da revista Pós-2015, de um ponto de vista relativo, a saúde perdeu espaço na nova Agenda. Mas esse processo não é necessariamente ruim. Isso porque o conceito ampliado de saúde prevalece hoje nas discussões e temas correlatos que não haviam sido devidamente contemplados pelos ODMs – como a vida em grandes cidades, por exemplo – têm recebido maior atenção.

“É preciso que tenhamos informações de várias áreas para compreendermos os contextos sanitários em que as populações vivem. É importante não fazermos uma leitura setorialista e compreendermos que essas informações são essenciais para caracterizarmos os contextos sociais e econômicos em que vivem as populações. Isso é essencial para que a saúde compreenda a realidade dessas populações e defina suas estratégias e respostas a essas demandas. Dessa forma, uma agenda mais diversa, mais integrada e mais representativa dos vários contextos em que as populações vivem é boa para todo mundo, inclusive para a saúde”, avalia Paes e completa: “A iniciativa do ISAGS é essencial para o debate da saúde com as outras áreas”.

O conselho editorial ampliado da revista é formado ainda por Alberto Pellegrini Filho, diretor do Centro de Estudos, Políticas e Informação sobre Determinantes Sociais da Saúde (CEPI-DSS/Fiocruz) e Doris Sayago, diretora do Centro de Desenvolvimento Sustentável da Universidade de Brasília (UnB). 

Prazo de envio

Os artigos deverão ser encaminhados para o e-mail: revistapos2015@isags-unasur.org até 30 de agosto de 2014. 

Formato

Os artigos e ensaios originais devem conter no máximo 15 laudas. 
Fonte: Arial 11. Margens: superior: 3,0; esquerda: 3,0; direita: 2,0 e inferior 2,0. Os resumos, na língua do artigo, devem ter no máximo 15 linhas. 
Os artigos de opinião e debates devem conter no máximo 10 laudas. 
Fonte: Arial 11. Margens: superior: 3,0; esquerda: 3,0; direita: 2,0 e inferior 2,0. Os resumos, na língua do artigo, devem ter no máximo 12 linhas. 

Idioma

Serão aceitos artigos em inglês e espanhol, os dois idiomas de trabalho de UNASUL, conforme previsto no Artigo 64 do Tratado Constitutivo do Regulamento Geral do bloco. Os resumos serão publicados nas quatro línguas oficiais da UNASUL: inglês, espanhol, português e holandês. A tradução dos resumos para as outras três línguas oficiais será realizada pela ISAGS e deverá ser aprovada pelos autores.

Link para convocatória

Comentar