Você está aqui

RIETS

Atualizado: 16/06/2021
imprimirimprimir 
  • Facebook

A Rede Ibero-Americana de Educação de Técnicos em Saúde (RIETS) foi criada em 4 de fevereiro de 2021, como uma sub-rede da Rede Internacional de Educação de Técnicos em Saúde (RETS), criada em 1996. No momento de sua criação, a RIETS já contava com membros de 12 dos 22 países que compõem a comunidade ibero-americana.

No âmbito da RIETS, o trabalho técnico em saúde é considerado como todo aquele realizado pelo conjunto de trabalhadores que exercem atividades técnico-científicas no setor e compreende desde as atividades de natureza mais simples, realizadas pelos auxiliares e agentes comunitários de saúde, até as mais complexas, realizadas por técnicos de nível superior. Essa definição, que não está associada apenas ao grau de escolaridade desses trabalhadores ou à posição hierárquica que eles ocupam no espaço funcional, é fundamental para possibilitar o trabalho conjunto e a troca de experiência entre instituições de países com realidades bastante diversas no que se refere à nomenclatura das profissões técnicas, às funções que esses trabalhadores desempenham, aos saberes que devem adquirir em sua formação, ao nível escolar em que estão inseridos e ao título que recebem ao se graduarem.

A RIETS se configura como uma estratégia de articulação e cooperação técnica entre instituições vinculadas direta ou indiretamente à educação de técnicos em saúde. Sua missão é fortalecer os sistemas nacionais de saúde, com base no pressuposto de que a qualificação dos trabalhadores é uma dimensão fundamental para a implementação de políticas públicas que atendam às necessidades de saúde da população de cada país-membro.

Os objetivos da RIETS são:

  • Promover o compartilhamento de informações e conhecimentos relacionados às áreas de Saúde, Educação e Trabalho;

  • Promover o reconhecimento social e econômico de técnicos em saúde de todos os níveis de formação, de acordo com as legislações nacionais;

  • Identificar problemas, necessidades e interesses comuns relativos à educação de técnicos em saúde em todos os níveis e modalidades, buscando alternativas que possam ser compartilhadas;

  • Promover a articulação entre as instituições-membro para ampliar e fortalecer suas atividades de ensino, pesquisa e cooperação técnica;

  • Promover o desenvolvimento de pesquisas em parceria entre as instituições-membro;

  • Dar visibilidade à situação atual de formação dos trabalhadores técnicos da área da saúde, facilitando a identificação de tendências e necessidades educacionais;

  • Compartilhar metodologias e recursos tecnológicos destinados às atividades de ensino, pesquisa e cooperação técnica relacionadas à educação de técnicos em saúde;

  • Propiciar o intercâmbio de docentes e alunos da formação técnica entre as instituições-membro com vistas à ampliação e ao fortalecimento do processo educativo.

A cooperação ibero-americana

“A Cooperação Ibero-americana é a via pela qual se plasmam, em ações concretas, os acordos e compromissos políticos assumidos pelos Chefes de Estado e de Governo Ibero-americanos nas Cúpulas” (SEGIB ). Tem enfoque regional multidimensional e multiator e um projeto flexível e horizontal de participação voluntária, no qual países participam de acordo com suas prioridades nacionais no contexto da Agenda 2030 de Desenvolvimento Sustentável. (Leia mais sobre a RIETS e acesse seus documentos de referência)

Notícias

  • 16/07/2021
    Criada em 1996, a RETS é uma articulação entre instituições e organizações envolvidas com a formação e a qualificação de pessoal técnico da área da saúde em países das Américas, da África de língua portuguesa, da Europa e da Asia. Atualmente, a rede reúne mais de 100 instituições, de mais de 20 países, além de abrigar duas sub-redes: a Rede de Escolas Técnicas de Saúde da Comunidade dos Países de Língua Portuguesa (RETS-CPLP) e a Rede Ibero-Americana de Educação de Técnicos em Saúde (RIETS).
  • 07/07/2021
    Pacientes com casos graves e críticos podem ser tratados com tocilizumab e sarilumab, juntamente com corticoides; bloquear a proteína facilita resposta do sistema imunológico; Organização Mundial da Saúde, OMS, respalda estudo científico que prova que medicamentos reduzem em 17% o risco de mortes por coronavírus.
  • 07/07/2021
    O propósito da iniciativa é gerar um espaço de intercâmbio, reflexão, aprendizado e formulação de propostas sobre as experiências concretas de como diferentes instituições formadoras enfrentaram esses desafios e alcançaram seus objetivos. Realizada no dia 6 de julho, com mais 500 acessos de vários países, a primeira oficina do ciclo abordou a questão das ‘práticas profissionalizantes’ que não podem ser realizadas virtualmente.  Sebastián Tobar (CRIS/Fiocruz) foi o apresentador do evento, que contou com a presença de Hernán Sepúlveda (Opas/OMS), e Anamaria D'andrea Corbo (EPSJV/Fiocruz) na abertura. O debate, mediado por Gerardo Arturo Medina, (SENA - Colômbia), reuniu a professora Ana Almeida (ESTeSL - Portugal) e Gabriel Muntaabski (INET - Argentina). 
  • 23/06/2021
    A primeira oficina do ciclo abordará a questão das 'práticas profissionalizantes', que não podem ser realizadas virtualmente. Como as instituições estão lidando com essa dificuldade em seus diferentes aspectos? Que soluções foram dadas para que esses técnicos, cujo papel nos sistemas nacionais de saúde é fundamental, possam entrar bem preparados no mundo do trabalho e em uma época de muitas exigências, como a pandemia? Como enfrentar as dificuldades para manter o número de egressos dos cursos técnicos e manter a qualidade da formação? Essas são algumas das perguntas a serem respondidas a partir do primeiro encontro.

Buscar membros da RIETS