Você está aqui

Publicado em: 26/09/2019

Líderes mundiais adotam Declaração Política de Alto Nível sobre cobertura universal de saúde

imprimirimprimir 
  • Facebook

Líderes mundiais adotaram na segunda-feira (23/09), em Nova Iorque, uma Declaração Política de Alto Nível das Nações Unidas sobre Cobertura Universal de Saúde (CUS) (em inglês).

Antes da votação, o secretário-geral disse que o documento “é o acordo mais abrangente já alcançado sobre saúde global.” Segundo António Guterres, esse “é um marco importante no caminho para a saúde universal". A cobertura universal da saúde é um dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável da Agenda 2030

Direito

O chefe da ONU afirmou que “todos, em todos os lugares, têm direito a cuidados de saúde de alta qualidade e acessíveis”, mas “metade das pessoas do mundo ainda espera por esse direito".Todos os anos, cerca de 100 milhões de pessoas em todo o mundo são empurradas para uma situação de pobreza devido a despesas catastróficas com saúde.

Para Guterres, sistemas de saúde fracos representam um risco que vai muito além das fronteiras nacionais. Além disso, “a cobertura universal de saúde provou ser um catalisador do crescimento econômico que beneficia indivíduos, famílias, comunidades, empresas e economias.”

O secretário-geral acredita que a nova declaração é “uma conquista significativa que impulsionará o progresso na próxima década".

Cobertura

Também presente no encontro, o diretor-geral da Organização Mundial da Saúde, OMS, disse que "esta declaração representa um marco para a saúde e o desenvolvimento global". Tedros Ghebreyesus destacou que “o mundo tem 11 anos para cumprir seus objetivos de desenvolvimento sustentável” e “a cobertura universal de saúde é essencial para garantir que isso aconteça". Ele disse ainda que “a cobertura universal de saúde é uma escolha política” e por isso dá os parabéns aos líderes mundiais por “sua prontidão para fazer essa escolha.”

Compromissos

No domingo, a OMS publicou um estudo dizendo que é necessário duplicar a cobertura de saúde até 2030 para evitar que 5 bilhões de pessoas fiquem sem acesso a serviços de saúde.

Na declaração assinada, os Estados-membros assumem o compromisso de avançar em direção à cobertura universal investindo em quatro áreas principais. Isso inclui mecanismos para evitar dificuldades financeiras causadas por problemas de saúde, intervenções de alto impacto para combater doenças e maior esforço para proteger a saúde de mulheres e crianças. Além disso, os países devem fortalecer os trabalhares na área da saúde, investir em infraestrutura e melhorar a capacidade de governança. Os avanços serão analisados pela Assembleia Geral em 2023.

A co-presidente da Fundação Bill & Melinda Gates disse que "agora que o mundo se comprometeu com a saúde para todos, é hora de começar o trabalho duro de transformar esses compromissos em resultados". Segundo Melinda Gates, “todos têm um papel a desempenhar".

Plano

Na terça-feira, 24 de setembro, a OMS e 11 parceiros lançaram o Plano de Ação Global para Saúde e Bem-Estar para Todos.  As 12 organizações representam um terço de todo o dinheiro investido em desenvolvimento na área da saúde. O plano deve facilitar o apoio prestado aos países para cumprir a meta de cobertura universal de saúde e alcançar os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável relacionados à saúde.

Fotos/Ilustrações: 

ONU News/Conor Lennon

Comentar