Você está aqui

Publicado em: 07/07/2021

OMS recomenda medicamentos que bloqueiam interleucina 6 para tratar Covid-19

imprimirimprimir 
  • Facebook
ONU News

A Organização Mundial da Saúde, OMS, está recomendando o uso de bloqueadores da interleucina 6, juntamente com corticoides, em pacientes com casos severos ou críticos de Covid-19.

A interleucina 6 é uma proteína envolvida na resposta inflamatória do organismo e serve para bloquear sua produção ajudando o sistema imunológico a combater o coronavírus.

                                    

Pesquisas

As novas recomendações da agência surgem após os resultados de um estudo científico publicado pela Associação Médica Americana. As pesquisas foram feitas com quase 11 mil pacientes hospitalizados com Covid-19, em 28 países.

A conclusão foi a seguinte: quando o tratamento no hospital inclui medicamentos que bloqueiam a interleucina 6, as chances de o paciente ser intubado ou morrer são menores.

O estudo, coordenado pela OMS em parceria com universidades britânicas, como a London King’s College, avalia os efeitos dos bloqueadores tocilizumab e sarilumab, que geralmente utilizados no tratamento da artrite reumatoide.

Em pacientes internados, administrar uma dessas drogas, juntamente com um corticoide, reduz o risco de morte por Covid-19 em 17% e o risco do paciente ser intubado em 21%, isso na comparação com o uso isolado de corticoides.

 

Ventilação Mecânica

A OMS explica que nas pessoas com casos severos de Covid-19 o sistema imunológico reage de forma exagerada, gerando a proteína interleucina 6.

Os estudos científicos testaram o uso de medicamentos que inibem esta proteína, como a tocilizumab e a sarilumab. Os pesquisadores da OMS avaliaram os benefícios clínicos, combinando dados de 27 ensaios clínicos em 28 países.

Pacientes que receberam os bloqueadores da interleucina 6 tiveram uma chance menor de morrer: 22%, comparado com 25% entre pessoas com formas severas de Covid-19 recebendo tratamento padrão.

 

Renda Baixa

A pesquisa também avaliou como esses medicamentos podem ajudar a diminuir necessidade de ventilação mecânica: em cada 100 internados nessa situação, mais sete irão sobreviver, sem precisar ser intubados.

A representante da OMS declarou que os resultados de pesquisas deste tipo são “uma das melhores maneiras de encontrar tratamentos que vão ajudar mais pessoas a sobrevirem à Covid-19”.

De acordo com Janet Diaz, “esses medicamentos precisam chegar às pessoas de países com rendas mais baixas”, já que existe uma desigualdade mundial na distribuição de vacinas e são essas populações que tem um risco maior de contrair formas graves e críticas da Covid-19.

Comentar