Você está aqui

Publicado em: 16/08/2021

OPAS começará a adquirir vacinas contra a COVID-19 para ampliar seu acesso na América Latina e no Caribe

imprimirimprimir 
  • Facebook
Opas/OMS

A Organização lançou uma nova oportunidade para ajudar os países a adquirir vacinas suficientes para controlar a transmissão do vírus

A diretora da Organização Pan-Americana da Saúde (OPAS), Carissa F. Etienne, informou nesta quarta-feira (11) que o organismo internacional utilizará seu Fundo Rotatório para ajudar os países da América Latina e do Caribe a adquirir vacinas suficientes para controlar a transmissão da COVID-19.

“A região ainda não conta com as doses necessárias para virar a maré da pandemia”, disse a diretora da OPAS em uma coletiva de imprensa. “Precisamos de um fluxo significativo de vacinas e de um processo mais justo para distribuí-las. Com isso em mente, a OPAS está oferecendo aos nossos Estados Membros uma nova oportunidade de acesso às vacinas contra a COVID-19.”

O Fundo Rotatório da OPAS irá “além dos 20% oferecidos pelo COVAX”, explicou Etienne, referindo-se ao compromisso do COVAX de adquirir vacinas para 20% da população da região - os grupos de maior risco.

O Fundo Rotatório, que adquiriu outras vacinas para a região a preços acessíveis por 42 anos, já está recebendo pedidos de vacinas contra a COVID-19 de países para os últimos três meses de 2021 e 2022, disse Etienne. “Até agora, mais de 20 países expressaram formalmente interesse e o número está crescendo a cada dia.”

Até o momento, o Fundo Rotatório atuou como um dos mecanismos de compra do COVAX e trabalhou diretamente com os países que solicitaram apoio para entregar doações por meio de acordos bilaterais. Já distribuiu mais de 20 milhões de doses de vacinas contra a COVID-19 para países da América Latina e do Caribe adquiridas por meio do COVAX.

"Nossa região precisa agilizar o acesso e garantir que os países alcancem suas metas de vacinação por todas as vias possíveis. Ainda precisamos de mais doações; e ainda precisamos do COVAX para cumprir seu compromisso original. Também precisamos criar oportunidades que atendam às diversas necessidades de nossos Estados Membros e que aumentem o fornecimento de vacinas para as pessoas e comunidades em maior risco.”
Carissa F. Etienne, diretora da OPAS

A iniciativa do Fundo Rotatório “beneficiará todos os países da região, mas especialmente aqueles que carecem de recursos e poder de negociação para garantir as doses necessárias para proteger seu povo”, acrescentou Etienne.

A diretora da OPAS chamou a atenção para o papel central do Fundo Rotatório na sólida trajetória de imunização na América Latina e no Caribe, onde os países desfrutaram de altas taxas de cobertura vacinal, “independentemente de sua renda ou infraestrutura”.

O Fundo Rotatório consolida a demanda regional para que as vacinas possam ser adquiridas a um preço acessível e adquire seringas, equipamentos de cadeia de frio e outros suprimentos.

“Por décadas, o Fundo Rotatório tem sido um catalisador de equidade e solidariedade e é responsável por proteger gerações de crianças na América Latina e no Caribe contra doenças preveníveis por vacinas”, ressaltou Etienne.

A diretora da OPAS abordou o número contínuo de vítimas da pandemia nas Américas, onde mais de 1,3 milhão de casos de COVID-19 e mais de 19 mil mortes foram notificados na semana passada.

Os casos e mortes continuam aumentando no Canadá, México e Estados Unidos. Na América Central, os casos estão diminuindo no Panamá e na Costa Rica, mas aumentando em Honduras, Belize e El Salvador.

No Caribe, os casos estão aumentando em Cuba, Jamaica, Porto Rico, Martinica, Bahamas e Dominica. “No último mês, as infecções aumentaram 30 vezes em Martinica e houve um aumento significativo nas hospitalizações”, disse Etienne.

Na América do Sul, as notícias são melhores: casos e mortes estão diminuindo na região andina e no Brasil, e em todo o Cone Sul. Isso inclui reduções substanciais de casos na Colômbia, Bolívia, Paraguai e Uruguai.

Comentar