Você está aqui

Publicado em: 27/05/2019

UFRJ assina acordo de cooperação técnica na área farmacêutica

imprimirimprimir 
  • Facebook
Rafaela de Oliveira

O Laboratório de Avaliação e Síntese de Substâncias Bioativas (Lassbio) da Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro assinou, em 22/5, um contrato com a Eurofarma para estabelecer parceria técnico-científica. O acordo visa à pesquisa e ao desenvolvimento de medicamentos inovadores, além do intercâmbio do conhecimento. Durante a cerimônia de assinatura, estiveram presentes Eliezer Barreiro, coordenador científico do Lassbio e do Instituto Nacional de Ciência e Tecnologia de Fármacos e Medicamentos (INCT); José Abreu, diretor do Instituto de Ciências Biomédicas (ICB); Luiz Eurico Nasciutti, decano do Centro de Ciências da Saúde (CCS); Eliete Bouskela, diretora científica da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado do Rio de Janeiro (Faperj) e Martha Penna, vice-presidente de inovação da Eurofarma.

Barreiro celebrou a construção da parceria entre academia e indústria, ressaltando que os dois setores estão buscando os mesmos resultados: o bem-estar da população por meio da criação de novos fármacos e a inovação na área. “Os grandes exemplos de inovação brasileira têm um pé fortíssimo na academia”, disse. O coordenador do Lassbio também destacou que a universidade produz conhecimento, mas nem sempre as pesquisas geram produtos que chegam às prateleiras, apenas em publicações científicas.

Segundo Eliezer, as parcerias podem ajudar nessa materialização. Penna completou a fala do diretor, enfatizando o papel da academia no Brasil como muito forte, portanto que precisa ser valorizado. “Essa é a riqueza que enxergamos pela frente. Precisamos deixar de ser uma indústria de cópias e nos tornarmos uma de inovação. Esse caminho passa pela universidade”, afirmou a representante da Eurofarma.

Objetivos

O contrato busca aproximar o setor de inovação com o produtivo, se concentrando em fármacos que mantenham relação entre o portfólio desenvolvido pelo Lassbio e a Eurofarma. Segundo Barreiro, o foco inicial está em quimioterápicos, antibacterianos e substâncias contra dor neuropática, depressão e doenças negligenciadas, como a leishmaniose.

Em 25 anos de Lassbio, construiu-se uma “quimioteca” com mais de 2 mil compostos com propriedades bioativas confirmadas, que agora poderão ser pesquisadas mais a fundo. A parceria garante bolsas de pós-doutorado para pesquisadores da UFRJ, com seguro de saúde oferecido pela empresa. Além disso, será dado apoio ao laboratório para permitir os estudos clínicos necessários ao avanço das pesquisas. Este acordo também pode render para universidade, futuramente, royalties advindos desses novos medicamentos produzidos.

Fotos/Ilustrações: 

Guilherme Flores / Eurofarma

Comentar