Você está aqui

Publicado em: 21/05/2021

América Latina e Caribe ultrapassam um milhão de mortes por COVID-19

imprimirimprimir 
  • Facebook
Opas/OMS

A diretora da Organização Pan-Americana da Saúde (Opas), Carissa F. Etienne, informou nesta sexta-feira (21) que mais de um milhão de pessoas na América Latina e no Caribe morreram devido à Covid-19 e pediu ao mundo para intensificar os esforços e melhorar o acesso da região às vacinas.

"A vida de um milhão de pessoas foi interrompida pela Covid-19. Este é um marco trágico para todos os habitantes da região", afirmou Etienne. “Esta pandemia está longe de acabar e está atingindo fortemente a América Latina, afetando nossa saúde, economias e sociedades. No entanto, apenas 3% de nossas populações foram vacinadas”.

De acordo com dados disponíveis até 21 de maio, notificados pelos países e territórios das Américas, 1.001.781 pessoas morreram com o vírus SARS-CoV-2 na América Latina e no Caribe. Quase 89% dessas mortes ocorreram em cinco países: Brasil (44,3%), México (22,1%), Colômbia (8,3%), Argentina (7,3) e Peru (6,7%); 3% de todas as mortes ocorreram na América Central e 1% no Caribe.

“A região é um epicentro do sofrimento causado pela Covid-19. Também deve ser um epicentro para a vacinação”, enfatizou Etienne. Mais de 153,5 milhões de pessoas foram vacinadas nas Américas, mas apenas 21,6% delas estão na América Latina e no Caribe.

Por outro lado, nos Estados Unidos, a vacinação se generalizou e a melhora já é notável, disse a diretora da Opas. Quase metade dos estadunidenses recebeu pelo menos uma dose e quase 85% das pessoas com mais de 85 anos estão totalmente protegidas. O resultado foi uma redução acentuada nas infecções, mortes e hospitalizações por Covid-19, disse.

“O progresso que estamos vendo nos Estados Unidos é uma prova do poder das vacinas seguras e eficazes, mas ressalta a grande importância de acelerar seu acesso em nossa região para que outros países possam imunizar totalmente suas populações”, continuou a diretora da Opas. “Precisamos urgentemente de mais vacinas para a América Latina e o Caribe, uma região que está sendo testada por esta pandemia”.

Etienne reconheceu os países que se dispuseram a doar dezenas de milhões de doses de vacinas que sobraram e pediu a outros países que façam o mesmo.

“Pedimos aos países que têm doses extras que considerem a doação de uma porção significativa para as Américas, onde essas doses que salvam vidas são desesperadamente necessárias e serão usadas prontamente”, disse Etienne.

A Opas entregou mais de 12 milhões de doses de vacinas fornecidas pelo mecanismo Covax a países da América Latina e do Caribe. Outras 770 mil doses estão a caminho da América Central e do Caribe.

Etienne também fez um apelo à população para que continue observando as medidas de saúde pública, como uso de máscaras, distanciamento físico, higienização das mãos e ventilação de espaços fechados sempre que possível. Ela chamou as pessoas a se vacinarem quando as vacinas estiverem disponíveis e for sua vez. "As vacinas são seguras e eficazes e uma ferramenta chave para deter esta pandemia."

Comentar