Você está aqui

Publicado em: 26/03/2021

Relatório revela aumento de uso de narcóticos entre idosos e pessoas com transtornos

imprimirimprimir 
  • Facebook

Em um momento de aumento da demanda por medicamentos devido à pandemia Covid-19, o Conselho Internacional de Controle de Entorpecentes (Incb, do inglês International Narcotics Control Board) lança seu Relatório Anual de 2020.

O documento, publicado na quinta-feira (25/03), alerta para uma epidemia oculta: o uso de drogas entre idosos. O uso de substâncias e distúrbios relacionados entre a população mais velha aumentaram nos últimos anos. O Incb pede aos governos que foquem nesse problema e atuem para reverter essa tendência alarmante.

Mobilidade

A entidade enfatiza que as pessoas com saúde mental e transtornos por uso de substâncias têm sido particularmente afetadas pela Covid-19. Restrições de mobilidade e isolamento social têm imposto maior estresse em pessoas com problemas de saúde mental e uso de substâncias e, às vezes, agravamento de transtornos.

O presidente do Incb, Cornelis de Joncheere, disse nesse momento em que os recursos já estão sendo esticados, as pessoas afetadas por transtornos por uso de drogas não devem ser esquecidas. O Conselho pede aos governos que continuem a fornecer serviços de prevenção, tratamento e reabilitação a elas.

O Incb expressa preocupação com o alto número de mortes por overdose de drogas - especialmente relacionadas a fentanil e metanfetamina, agravadas ainda mais pela pandemia. Preocupa-se também com a legalização da cannabis, o ativo da maconha, para fins não-terapêuticos e reitera a necessidade de os Estados tomarem medidas que limitem a produção, fabricação e comércio dessa substância para fins médicos e científicos. 

Drogas e idosos 

Dados mostram um aumento do uso de analgésicos, tranquilizantes, benzodiazepínicos e sedativos por idosos na última década. Idosos com problemas de uso de substâncias também enfrentam desafios relacionados à idade, incluindo isolamento ou desafios físicos. O Incb recomenda ampliar pesquisas sobre transtornos por uso de drogas entre os idosos como um primeiro passo para reverter esse quadro. Também apela aos governos para melhorar o acesso à saúde e tratamentos para este grupo.

Medicamentos

A pandemia Covid-19 aumentou a demanda por alguns medicamentos controlados, enquanto controles de fronteira e medidas de distanciamento social interromperam a cadeia de abastecimento global de medicamentos. Isso afetou tanto a logística dos principais produtos farmacêuticos como os serviços relacionados à saúde e o acesso a medicamentos.

O Incb recomenda que os países revisem sua demanda de medicamentos e agilizem processos para garantir a continuidade dos tratamentos para pessoas com problemas de saúde mental e uso de substâncias.

Restrições de viagens e outras medidas de distanciamento social resultaram na falta de algumas drogas e preços mais altos no mercado ilícito. Além disso, há indicações de que adulterantes como o fentanil estão sendo usados, aumentando as taxas de overdose.

Crime organizado

Incb relata crescimento no comércio de drogas online por organizações criminosas. O Incb reitera a importância de implementar as obrigações sob convenções internacionais de controle de drogas e incentiva os países a abordar as ligações entre crimes relacionados e outras formas de crime organizado.

A produção ilícita de ópio do Afeganistão permaneceu alta, respondendo por quase 84% do total global de ópio nos últimos cinco anos. O fornecimento de heroína de origem afegã aos mercados de consumo também continua alto.

O Incb mantém um diálogo estreito com o governo do Afeganistão e apela à comunidade internacional para apoiar o país em seus esforços de controle de entorpecentes.

Desafios

A Convenção sobre Substâncias Psicotrópicas Incb marca os 60º e 50º aniversários da Convenção Única sobre Entorpecentes de 1961 e 1971, duas convenções de controle de drogas que geraram um especial relatório que analisa suas realizações e destaca os desafios que a comunidade internacional enfrenta hoje. 

O Incb reconhece que um dos principais desafios para os Estados é alcançar o equilíbrio entre garantir a disponibilidade de drogas medicamente necessárias e a prevenção do abuso, produção ilegal e tráfico. Também enfatiza que, no combate ao crime relacionado às drogas, as respostas do governo devem ser sempre proporcionais e tratadas por meio do sistema de justiça criminal formal consistente com a Declaração Universal dos Direitos Humanos.

Fotos/Ilustrações: 

Eric Ganz/Relatório revela epidemia oculta: o de uso de drogas entre idosos.

Comentar