Você está aqui

Publicado em: 10/11/2020

A "ciência aberta" pode acelerar a busca por uma vacina COVID-19? Cinco coisas que você deve saber

imprimirimprimir 
  • Facebook

As Nações Unidas estão pedindo que pesquisas e informações científicas confiáveis ​​sejam disponibilizadas gratuitamente, para acelerar a pesquisa de uma vacina eficaz contra o vírus Covid-19, para ajudar a conter a desinformação e "que a ciência possa realizar todo o seu potencial".

Partindo da premissa de que ninguém estará seguro até que estejamos todos seguros, a Organização Mundial da Saúde (OMS) tem instado os países e cientistas a trabalharem juntos há vários meses para tentar controlar a pandemia. Isso criou, junto com governos, cientistas, fundações, o setor privado e outros parceiros, uma plataforma revolucionária para acelerar o desenvolvimento de testes, tratamentos e vacinas.

Em outubro, Tedros Ghebreyesus Adhanom, chefe da OMS, junto com Michelle Bachelet, Alta Comissária para Direitos Humanos, e Audrey Azoulay, Diretora-Geral da Unesco, a organização para ciência, cultura e educação, lançou um apelo conjunto a favor da “Ciência Aberta”, qualificando-a de “questão fundamental de direitos humanos” que poderia garantir o direito ao acesso universal ao progresso científico e suas aplicações.

Mas o que exatamente significa Ciência Aberta e por que a ONU insiste em generalizá-la?

1) O que é "Ciência Aberta"?

A 'Ciência aberta' (Open Science) tem sido descrito como um movimento crescente que visa tornar o processo científico mais transparente e inclusivo, tornando o conhecimento científico, métodos, evidências e dados disponíveis gratuitamente e acessíveis a todos.

O movimento  'Ciência aberta' originou-se na comunidade científica e rapidamente se espalhou pelas nações. Investidores, empresários, formuladores de políticas e cidadãos aderem a esta chamada.

No entanto, a Unesco também alerta que, em um contexto científico e político fragmentado, ainda falta uma compreensão abrangente do significado, das oportunidades e dos desafios da Ciência Aberta.

2) Por que a Ciência Aberta é importante?

A ciência aberta acilita a colaboração científica e a troca de informações em benefício da ciência e da sociedade, criando mais e melhor conhecimento científico e disseminando-o para uma população mais ampla.

De acordo com a Unesco, a Ciência Aberta é uma "verdadeira virada de jogo": ao tornar a informação amplamente disponível, ela permite que mais pessoas se beneficiem da inovação científica e tecnológica.

3) Por que é necessária agora?

Em um mundo mais interconectado do que nunca, muitos dos desafios atuais cruzam fronteiras políticas ou geográficas, e uma forte colaboração científica internacional é essencial para superar esses problemas. A pandemia Covid-19 é um bom exemplo disso.

Além disso, temos as ferramentas para fazer isso. A digitalização está se tornando cada vez mais difundida e nunca foi tão fácil compartilhar o conhecimento científico e os dados necessários para permitir decisões que podem levar à superação dos desafios globais com base em evidências confiáveis.

4) Qual é o impacto da Ciência Aberta na pandemia?

Nesta emergência de saúde global, graças à colaboração internacional, os cientistas melhoraram sua compreensão do coronavírus com velocidade e abertura sem precedentes, adotando os princípios da Ciência Aberta. Periódicos, universidades, laboratórios privados e repositórios de dados aderiram ao movimento, permitindo acesso aberto a dados e informações: cerca de 115.000 publicações publicaram informações relacionadas ao vírus e à pandemia, e mais de 80% dos eles estão disponíveis gratuitamente para o público em geral.

No início da pandemia, por exemplo, os cientistas chineses foram rápidos em compartilhar o genoma do vírus, impulsionando todas as pesquisas subsequentes sobre o vírus, bem como os testes de diagnóstico, tratamentos e vacinas que foram desenvolvidos desde então.

Por fim, a crise evidenciou a necessidade urgente de aproximar a ciência da tomada de decisões e da sociedade como um todo. Combater o Covid-19, combater a desinformação e promover a tomada de decisões com base em evidências, apoiadas por cidadãos bem informados, tem se mostrado de extrema importância.

5) O que a ONU está fazendo para promover a Ciência Aberta?

Para garantir que a Ciência Aberta realmente alcance seu pleno potencial e beneficie os países em desenvolvimento e desenvolvidos, a UNESCO está liderando a construção de um consenso global sobre os valores e princípios da Ciência Aberta que são relevantes para todos. cientistas e todas as pessoas, independentemente de seu lugar de origem, sexo, idade ou origem econômica e social. A futura Recomendação da Unesco sobre Ciência Aberta será o instrumento internacional para estabelecer padrões justos e apropriados para Ciência Aberta em todo o mundo que respeitem o direito humano à ciência e não deixem ninguém para trás.

Em sua mensagem para o Dia Mundial da Ciência pela Paz e pelo Desenvolvimento, que é comemorado todo dia 10 de novembro, Azoulay disse que expandir o alcance da Ciência Aberta ajudará a ciência a "realizar todo o seu potencial", tornando-a mais eficaz. e diversificada, “permitindo que todos contribuam para ela, mas também adaptem seus objetivos às necessidades da sociedade, estabelecendo uma cultura científica em uma cidadania informada e responsável que participa da tomada de decisões coletivas”.

Fotos/Ilustrações: 

CDC - Cientista examina os resultados de um teste de partícula do vírus da gripe.

Comentar