• 22/01/2019 - O Cadernos de Saúde Pública abre 2019 com inúmeros desafios para a política de saúde e o SUS. O fascículo de janeiro traz, em seu espaço temático Médicos na Atenção Primária à Saúde (APS), quatro artigos que refletem sobre a experiência e os dilemas da profissão de médicos dos sistemas de saúde de Portugal, Brasil, Canadá e Chile.   No editorial desse fascículo, as editoras do CSP, Luciana Dias de Lima, Marilia Sá Carvalho e Cláudia Medina Coeli, ressaltam que “os médicos e suas entidades representativas ocupam um papel central na trajetória de construção e reformas de sistemas públicos de saúde. No plano internacional, estudos comparados enfatizam a importância das relações entre o Estado e as organizações da medicina, para distintas orientações e rumos da política de saúde em contextos institucionais específicos”
  • 16/01/2019 - O mundo está enfrentando vários desafios na área da saúde. Estes variam de surtos de doenças evitáveis por vacinação, como é o caso do sarampo e da difteria; das crescentes notificações de patógenos resistentes a medicamentos; e das altas taxas de obesidade e inatividade física, além dos impactos à saúde causados pela poluição ambiental, mudança climática e múltiplas crises humanitárias. Para enfrentar essas e outras ameaças, será posto em prática neste ano o novo plano estratégico da Organização Mundial da Saúde (OMS) – 13th General Programme of Work –, que terá duração de cinco anos. A iniciativa tem como objetivo garantir que: 1 bilhão de pessoas a mais se beneficiem do acesso à saúde e da cobertura universal de saúde; 1 bilhão de pessoas estejam protegidas de emergências de saúde; e 1 bilhão de pessoas desfrutem de uma melhor saúde e bem-estar. Alcançar esses objetivos exigirá uma abordagem por diversos ângulos.
  • 08/01/2019 - Profissionais de saúde pública, relações internacionais e áreas correlatas já podem se inscrever na edição de 2019 do Programa de Líderes em Saúde Internacional Edmundo Granda Ugalde (PLSI), promovido pela Organização Pan-Americana da Saúde (OPAS). As candidaturas serão recebidas até 15 de fevereiro de 2019. O programa, que é gratuito para os candidatos, tem o objetivo capacitar profissionais dos países da região para que possam compreender, atuar e influir de maneira positiva sobre temas de saúde global em um contexto internacional complexo, caracterizado por desafios que exigem ações que transcendem setores e fronteiras.
  • 19/12/2018 - A Comunidade dos Países de Língua Portuguesa (CPLP) e o Instituto Brasil África (IBRAF)  assinaram, na sede da entidade em Lisboa, um Memorando de Entendimento (MdE) para estabelecimento de parcerias e desenvolvimento de projetos. 
  • 13/12/2018 - Projeto de cooperação entre Fiocruz e Instituto Brasil-África demanda curso de Manutenção de Equipamentos de Laboratório de Patologia à Escola Politécnica
  • 12/12/2018 - Ministros da Saúde do Mercosul e dos Estados associados assinaram uma declaração para colocar a saúde à frente e no centro dos planos nacionais de adaptação às mudanças climáticas. Essa medida tem o objetivo de assegurar que os sistemas de saúde se tornem resilientes a essas mudanças e que a prevenção e a promoção da saúde estejam totalmente integradas aos serviços de informação sobre temas climáticos, de acordo com as recomendações da Organização Pan-Americana da Saúde (OPAS).
  • 07/12/2018 - Novo relatório da ONU mostra que cumprimento do Acordo de Paris pode salvar cerca de um milhão de vidas por ano até 2050; poluição do ar causa 7 milhões de mortes em todo o mundo, todos os anos, e custa cerca de US$ 5,11 trilhões. 
  • 30/11/2018 - Durante a 4ª Reunião Ordinária da Rede de Escolas Técnicas de Saúde da Comunidade dos Países de Língua Portuguesa (RETS-CPLP), realizada nos dia 12 e 13 de novembro, no Rio de Janeiro, representantes dos países da CPLP apresentaram o cenário da Atenção Primária em Saúde (APS) nos seus sistemas de saúde. Além disso, os membros da RETS-CPLP aprovaram o novo plano de trabalho da Rede 2019-2022 e confirmaram a EPSJV/Fiocruz como sua instituição coordenadora.
  • 30/11/2018 - Nos 20 países que integram a Rede Internacional de Educação de Técnicos em Saúde (RETS), cuja secretaria executiva está sediada na Escola Politécnica de Saúde Joaquim Venâncio (EPSJV/Fiocruz), há grandes diferenças em relação às características das instituições que são responsáveis pela formação dos técnicos em saúde, bem como são distintas as modalidades e os graus de ensino oferecidos para esses profissionais. Essas múltiplas experiências de formação e trabalho, com ênfase na atenção primária à saúde (APS), foram destaques da 4ª Reunião Geral da RETS, realizada de 12 a 14 de novembro, no Rio de Janeiro, concomitantemente à 4ª Reunião Ordinária da Rede de Escolas Técnicas de Saúde da Comunidade dos Países de Língua Portuguesa (RETS-CPLP). A RETS tem como missão promover a articulação entre instituições e organizações envolvidas com a formação e a qualificação de pessoal técnico da área da saúde em países das Américas, da África, da Ásia e em Portugal.
  • 28/11/2018 - Consolidar a Rede Internacional de Educação de Técnicos em Saúde (RETS) e sua missão de apoio ao fortalecimento da formação e qualificação de trabalhadores técnicos em saúde, em processos de cooperação internacional nas Américas e na Comunidade dos Países de Língua Portuguesa (CPLP). Esse foi o objetivo principal da 4ª Reunião Geral da RETS, realizada de 12 a 14 de novembro no Rio de Janeiro, juntamente com a 4ª Reunião Ordinária da RETS-CPLP, no Rio de Janeiro. Durante três dias, cerca de 40 representantes institucionais avaliaram o trabalho feito ao longo dos anos e, entre outras coisas, elaboraram o plano de trabalho das redes para o período 2019-2022. O grupo também definiu e pactuou um plano de comunicação para a RETS, bem como reconduziu a EPSJV/Fiocruz como a secretaria executiva da Rede. No primeiro dia do evento, após a mesa de abertura, foi realizado o seminário ‘40 anos de Alma-Ata e o papel dos trabalhadores técnicos em saúde na efetivação de sistemas universais de saúde’, com a presença de Paulo Buss, ex-presidente e atual coordenador do Centro de Relações Internacionais em Saúde (CRIS) da Fiocruz, e Isabel Duré, da Secretaria de Saúde do Ministério da Saúde e Desenvolvimento Social da Argentina. O seminário foi aberto ao público e transmitido ao vivo pela Internet. Ao final da Reunião, os membros da RETS divulgaram a Declaração do Rio de Janeiro, na qual solicitam às autoridadades locais, regionais e mundiais maior atenção ao tema da formação e do trabalho dos técnicos em saúde.

Páginas