Você está aqui

Publicado em: 06/11/2017

RETS participa de encontro da Unasul sobre gestão de RH

imprimirimprimirenviar por e-mailenviar por e-mail
  • Facebook
Julia Neves (EPSJV/Fiocruz)

Representantes da Secretaria Executiva da Rede Internacional de Educação de Técnicos em Saúde (RETS), sediada na Escola Politécnica de Saúde Joaquim Venâncio (EPSJV/Fiocruz), participaram nos dias 17 e 18 de outubro, da VI Reunião do Grupo Técnico de Desenvolvimento e Gestão de Recursos Humanos em Saúde (GT de RHUS) da União das Nações Sul-americanas (Unasul). O encontro, que aconteceu em Lima, no Peru, teve por objetivo a formulação das diretrizes para a Política de Recursos Humanos em Saúde da Unasul, que permite orientar o desenvolvimento e fortalecimento da gestão de RH nos países membros. Promovido pelo GT, o evento reuniu representantes dos ministérios da saúde de Brasil, Argentina, Colômbia, Chile, Equador, Guiana, Peru, Uruguai e Venezuela, além de representações da Rede de Escolas de Saúde Pública (Resp), do Instituto Sul-Americano de Governo em Saúde (Isags) e da Organização Pan-Americana da Saúde (Opas/OMS).

Na mesa ‘Avanços dos compromissos assumidos no III Fórum Global de Recursos Humanos em Saúde’, a diretora da Escola Politécnica, Anakeila Stauffer, fez uma apresentação sobre a RETS-Unasul, apontando os esforços empreendidos para o cumprimento dos compromissos assumidos pelo GTRHUS, com apoio da Rede, durante o III Fórum Global de Recursos Humanos em Saúde, realizado em Recife, em 2013. Ela também destacou as dificuldades enfrentadas para a finalização do mapeio da formação de técnicos em saúde nos países membros da Unasul, parte importante desse compromisso, e os planos para dar continuidade ao projeto.

“Entre as atividades realizadas nos nove anos da Rets-Unasul, vale destacar o esforço para a construção de propostas de ensino, projetos de pesquisa e seminários virtuais da Rets. No entanto ainda é necessário dar visibilidade a agendas de trabalho que incluem a categoria dos técnicos em saúde e fortalecer alianças políticas com o objetivo de garantir o papel da articulação política da rede e de ampliar a capacidade de financiamento”, ressaltou Anakeila.

No encontro também foram identificados os nós críticos e prioritários para a construção do plano de trabalho do grupo, por meio da discussão do documento ‘A estratégia de Recursos Humanos para o acesso universal da saúde e a cobertura universal de saúde’. “Neste momento, os países apontaram dentro das suas prioridades, a questão de avançar no conhecimento sobre o trabalho dos técnicos, principalmente os que atuam na Atenção Primária em Saúde (APS)”, destacou Ingrid D’Avilla, pesquisadora da EPSJV. E acrescentou: “Os países têm a expectativa de ampliar o conhecimento sobre o trabalho desses técnicos para que seja possível identificar suas competências reais de trabalho e as necessidades dos processos formativos, já fazendo um diagnóstico de que em alguns países, esses técnicos tem um papel fundamental na atenção primária pela ausência de outros profissionais e equipes”.

“O contexto atual é marcado por um conjunto de objeções em todos os países, com dificuldade de implementar políticas públicas. Nas discussões, foram destacados como problemas relativos ao trabalho dos técnicos em saúde:  a migração, a necessidade de reconhecimento de títulos acadêmicos no âmbito da Unasul e a necessidade de coordenar a formação de profissionais na região para que respondam às necessidades da APS e as características dos territórios” , ressaltou Ingrid.

No dia 20 de outubro, a EPSJV participou de uma reunião com Claudia Ugarte, diretora geral de Recursos Humanos e coordenadora do GT, e Pedro Diaz, também do Ministério da Saúde do Peru, para avaliação do histórico de cooperações bilaterais existentes entre a Escola e o Instituto Nacional de Saúde do Peru (INS). “Eles contextualizaram o momento atual de algumas políticas públicas e mencionaram que seria possível estruturar um projeto de cooperação para formação de técnicos da área de vigilância em saúde, com ênfase nas arboviroses, no norte do país,”, afirmou Ingrid.

Desdobramentos

Como encaminhamento, a EPSJV e o Isags apresentaram uma proposta de formação em docência e construção de um mapeamento/análise situacional sobre a formação dos trabalhadores técnicos em saúde dos 12 países da Unasul. “Pretendemos construir esse projeto pela RETS a ser submetido por Brasil, Peru, Colômbia, Isags e pelo próprio GT de RHUS-Saúde da Unasul ao Fundo de Iniciativas Comuns da Unasul, que prevê recursos para iniciativas sociais para os países do bloco. Conseguimos apresentar a minuta do projeto e receber contribuições”, destacou Ingrid.

Comentar