Você está aqui

Publicado em: 24/04/2019

Países da CPLP enfatizam a importância da vacinação | Semana Africana de Vacinação

imprimirimprimir 
  • Facebook
Rafaela de Oliveira

A Semana Africana de Vacinação (SAV), liderada pela Organização Mundial da Saúde em colaboração com parceiros e com a sociedade civil, começou na última segunda-feira (22/4) e vai até o próximo dia 28. Com diferentes objetivos, países membros da Comunidade dos Países de Língua Portuguesa (CPLP) enfatizam a importância da vacinação, do acesso universal e igualitário à ela e do engajamento dos governos na promoção de políticas efetivas de saúde para a população. Celebrada geralmente nos últimos dias de abril, a semana desta vez deu lugar a São Tomé e Príncipe como capital africana das campanhas. O desafio proposto pela Comissão da União Africana foi uma particularidade da nona edição. Sob o tema “Todos Protegidos: As vacinas Ajudam! Planeamento familiar Reforça”, São Tomé e Príncipe apresenta una cobertura vacinal validada como "extremamente boa", de acordo com os últimos dados disponíveis e validados pela OMS e pela UNICEF. A taxa de 95% reforça a meta do 51º país do continente africano a lançar a Iniciativa sobre a Redução Acelerada da Mortalidade Materna e Neonatal (CARMMA).

O foco da SAV 2019 está concentrado em cobrir os 5% de crianças menores de 5 anos que ainda não têm todas as vacinas. Para isso, serão realizadas atividades de vacinação nos postos fixos e equipes móveis. Além disso, também será destacada uma suplementação com a Vitamina A e continuará sendo feito o aconselhamento às gestantes para seguirem todos os procedimentos, sobretudo, respeitar o calendário das consultas pré-natal e procurar os hospitais e centros de saúde com uma maternidade para darem à luz. O lançamento oficial da SAV e do CARMMA de dimensão regional acontece hoje (24/4) Palácio dos Congressos, das 9 às 11h, com a presença de autoridade do país e internacionais como a União Africana, a OMS, a UNICEF e Aliança Global para Vacinas (GAVI). Essas Organizações contribuem nas políticas de vacinação e na melhoria da qualidade de Saúde Reprodutiva, Materna, neonatal, infantil e de adolescentes. Alguns outros países também foram convidados para o evento, entre eles: Cabo Verde, Comores, Egito, Guiné Equatorial, Madagáscar, Marrocos, Seychelles, Sudão do Sul. 

Quanto à CARMMA, o principal objetivo é “ampliar a disponibilidade e o uso de serviços de saúde de qualidade universalmente acessíveis, incluindo aqueles relacionados com a saúde sexual e reprodutiva, que são críticos para a redução da mortalidade materna”. Os esforços se voltam para salvar as vidas de mulheres que não deveriam morrer enquanto dão vida. O país já se prepara o futuro, à medida que se anuncia uma redução paulatina da ajuda internacional. A oportunidade será aproveitada pelas autoridades são-tomenses para troca de experiências e advocacia junto dos parceiros com vista à perenização dos ganhos obtidos nesses dois âmbitos principais, que integram um conjunto de direitos que devem ser garantidos à população.­

O ato será presidido pelo Presidente da República, Evaristo Carvalho. Em complemento, o distrito de Cantagalo, pelo seu desempenho reconhecido por todos, albergará uma Feira de Saúde, integrando vários serviços: vacinação, planeamento familiar, nutrição, registo de nascimento, aconselhamento e sensibilização. São Tomé e Príncipe, recorde-se, foi um dos subscritores da Declaração de Addis-Abeba 2016. O país comprometeu-se a garantir o acesso universal à vacinação como “pedra basilar da saúde e do desenvolvimento em África”. Na perspetiva da transição para a independência vacinal, a partir de 2023, o Ministério da Saúde acordou com a UNICEF um crédito no valor de USD 500 mil durante dois anos, para a compra de vacinas e consumíveis para a vacinação, cujo reembolso deverá ser efetuado no prazo de 30 dias, após a chegada de cada encomenda ao país.

Cabo Verde

Cabo Verde ganhou destaque em relação aos outros países da sub-região pela excelente cobertura vacinal. Durante o lançamento da campanha no Centro Cultural de Cidade Velha, realizado no dia 22 de abril, o Ministro da Saúde e da Segurança Social, Arlindo do Rosário, assinala o bom desempenho do país em relação à cobertura vacinal. Segundo ele, apesar do alto custo do procedimento já que CB não faz parte da Aliança Global, o governo consegue dar este suporte: "(...)O importante é ver o custo/efetividade, não se pode falar só sobre custo, mas sim o que é que isso se representa em termos de erradicação de doenças", concluiu. A cerimônia contou com a presença do Representante da Organização Mundial de Saúde, do Chefe do Escritório Conjunto PNUD, FNUP e UNICEF, da Vereadora para área de Saúde e do Responsável do Centro de Saúde de Cidade Velha. Assim como São Tomé e Príncipe, Cabo Verde também se enquadra com uma taxa de cobertura "extremamente boa".

Angola

Por sua vez, o Ministério de saúde da Angola (MINSA) lançou uma nota reafirmando a importância da vacinação de rotina, ferramenta fundamental para o fortalecimento dos cuidados  primários de saúde e a cobertura da saúde  universal. De acordo a Angop, o Executivo Angolano, com apoio de parceiros  internacionais, como a GAVI, a Organização Mundial da Saúde e o Unicef, tem destacado ações para a melhoria dos indicadores de saúde pública. 

Ao longo dos anos, o país tem reforçado o calendário de vacinação de rotina com a introdução de novas vacinas com destaque para a introdução da pneumo, do rotavirus e, mais recentemente, a vacina contra a rubéola e a pólio injectável. A semana africana de vacinação enquadra-se numa iniciativa dos Ministérios da Saúde para incentivar a promoção do uso das vacinas como forma de proteger as pessoas de todas as idades contra diferentes doenças. Neste período, o MINSA promove diversas atividades, sob o lema “as vacinas funcionam, faça a sua parte”, para a garantia de um sistema de vacinação que alcance todas e todos, especialmente as crianças.

Confira a publicação no Instagram da RETS sobre a Semana de vacinação nas Américas.

 

Fotos/Ilustrações: 

Foto: Ascom UEPA/Nailana Thiely

Comentar