• 03/10/2016 - Autoridades de saúde das Américas concordaram em desenvolver políticas e programas de saúde que abordem as inequidades de saúde que afetam os migrantes e em fortalecer os sistemas de saúde para que possam atender às necessidades dessa população vulnerável. Odocumento aprovado no 55º Conselho Diretor da Organização Pan-Americana da Saúde (Opas), que se reúne nesta semana em Washington D.C., também insta os países da região a oferecer aos migrantes, independentemente de suas condições migratórias, acesso ao mesmo nível de proteção financeira e serviços de saúde integrais fornecidos ao restante da população.
  • 03/10/2016 - Os países das Américas alcançaram quase todas as metas de saúde dos Objetivos de Desenvolvimento do Milênio (ODM), revelou relatório apresentado aos ministros da Saúde da região durante o 55º Conselho Diretor da Organização Pan-Americana da Saúde (Opas). “Os esforços de 15 anos deram frutos e os países do continente conseguiram melhorar significativamente a saúde de suas populações”, afirmou Kira Fortune, chefe interina do Programa Especial de Desenvolvimento Sustentável e Equidade em Saúde da Opas.
  • 03/10/2016 - O plano integrado de enfrentamento à epidemia de zika está em processo de consolidação. Essa é a avaliação das organizações participantes da 3ª reunião sobre Ações Estratégicas para o Fortalecimento da Atenção e Proteção Social às Pessoas Afetadas pelo Vírus Zika,realizada semana passada na sede do escritório da Opas/OMS.
  • 28/09/2016 - A rede Healthcare Information for All (HIFA) iniciou um debate temático sobre Parcerias na Saúde. A iniciativa, que teve início no dia 19 de setembro, é patrocinada pela organização governamental Tropical Health and Education Trust (THET), que estimula parcerias na área de formação em saúde. O debate ocorrerá até o dia 21 de outubro de 2016 e os interessados podem participar através do site da HIFA.
  • 28/09/2016 - A região das Américas é a primeira do mundo a ser declarada livre de sarampo, uma doença viral que pode causar graves problemas de saúde, inclusive pneumonia, cegueira, inflamação do cérebro e até mesmo a morte. Este resultado culmina um esforço de 22 anos que envolveu uma ampla administração da vacina contra o sarampo, a caxumba e a rubéola no continente.

Páginas