• 19/06/2018 - Na sexta-feira (15/06), os Ministros da Saúde Pública do Mercosul se reuniram em Assunção, onde concordaram com os critérios para a rotulagem frontal dos alimentos. O Uruguai está avançando na questão e planeja emitir um decreto. O objetivo é regular alimentos com excesso de gorduras, açúcar e sal. Os líderes também ratificaram o trabalho feito para a compra conjunta de medicamentos caros.
  • 13/06/2018 - Em 8 de junho de 2018, a Organização Mundial de Saúde (OMS) certificou que a malária foi eliminada no Paraguai, o primeiro país das Américas a receber esta certificação desde Cuba recebeu em 1973. "É um grande prazer poder certificar hoje que o Paraguai está oficialmente livre da malária ", disse o Dr. Tedros Adhanom Ghebreyesus, Diretor Geral da OMS, em um comunicado. "Conquistas exemplares como a do Paraguai mostram o que é possível. Se a malária pode ser eliminada em um país, ela poderá ser eliminada em todos". Em 2016, a OMS identificou Paraguai como um dos 21 países que tinham o potencial de eliminar a malária até 2020. Com o "E-2020", a OMS está apoiando esses países que estão redobrando esforços em atividades para se tornarem em países livres de malária. Outros países das Américas que participam da iniciativa E-2020 são Belize, Costa Rica, Equador, El Salvador, México e Suriname.
  • 05/06/2018 - No dia 28 de maio, durante a 143a Sessão do Conselho Executivo (EB143) da Organização Mundial da Saúde (OMS), o Brasil foi escolhido para ocupar a presidência do Conselho, órgão diretivo da Organização, no período de 2018/2019. O país não ocupava essa posição desde 1961. O cargo será exercido pela Representante Permanente do Brasil junto à ONU em Genebra, embaixadora Maria Nazareth Farani de Azevêdo.
  • 28/05/2018 - É com cautela e atenção que informamos que o 4º Seminário Virtual RETS sobre ‘A determinação social das arboviroses: vigilância em saúde e ações territorializadas’  será adiado! Em breve divulgaremos nova data para o debate!
  • 21/05/2018 - Quase um bilhão de pessoas serão vacinadas contra a febre amarela em 27 países africanos de alto risco até 2026 com o apoio da Organização Mundial da Saúde (OMS), Gavi – the Vaccine Alliance, UNICEF e mais de 50 parceiros na área de saúde.  O compromisso faz parte da estratégia Eliminate Yellow fever Epidemics (EYE) na África, que foi lançada, na terça-feira, dia 10 de abril, por edros Adhanom Ghebreyesus, diretor-geral da OMS; pelo professor Isaac Folorunso Adewole; pelo Ministro da Saúde da Nigéria; e parceiros em uma reunião regional em Abuja, Nigéria.  

Páginas