• 28/09/2016 - A rede Healthcare Information for All (HIFA) iniciou um debate temático sobre Parcerias na Saúde. A iniciativa, que teve início no dia 19 de setembro, é patrocinada pela organização governamental Tropical Health and Education Trust (THET), que estimula parcerias na área de formação em saúde. O debate ocorrerá até o dia 21 de outubro de 2016 e os interessados podem participar através do site da HIFA.
  • 28/09/2016 - A região das Américas é a primeira do mundo a ser declarada livre de sarampo, uma doença viral que pode causar graves problemas de saúde, inclusive pneumonia, cegueira, inflamação do cérebro e até mesmo a morte. Este resultado culmina um esforço de 22 anos que envolveu uma ampla administração da vacina contra o sarampo, a caxumba e a rubéola no continente.
  • 26/09/2016 - Sob o quadro do Novo Modelo Integral de Atenção em Saúde - MIAS, o Ministério da Saúde e Proteção Social, a Mesa Setorial de Serviços da Saúde e o Serviço Nacional de Aprendizagem (Sena), promoveram um evento internacional como um espaço para consolidar recomendações para a formação e gestão do recurso humano, que exige a saúde materna de acordo com as características populacionais e geográficas da Colômbia.
  • 19/09/2016 - A diretora do Instituto de Saúde da UNASUL (Isags), Carina Vance, e a secretária executiva do Organismo Andino de Saúde (ORAS-CONHU), Nila Heredia, assinaram o Convênio Marco de Colaboração Interinstitucional na cidade de Cartagena no último dia 7 de setembro de 2016. As duas autoridades estiveram presentes na XV Cúpula de Ministras e Ministros da Saúde da Ibero-américa e na Conferência LAC "Uma Região Comprometida - Reduzindo Iniquidades em Saúde Sexual e Reprodutiva" na cidade colombiana. Também participaram da reunião representantes dos Ministérios da Saúde de Argentina, Bolívia, Colômbia, Chile, Equador, Paraguai e Peru.
  • 16/09/2016 - Os Estados muitas vezes não conseguem cumprir suas obrigações em relação às mulheres e meninas com deficiência, tratando-as ou permitindo que elas sejam tratadas com hostilidade ou pena, em vez de capacitá-las paradesfrutar seus direitos e liberdades básicas, afirmou na terça-feira (30) o Comitê da ONU sobre Direitos das Pessoas com Deficiência.

Páginas